Sete lições para pais e filhos nesta quadra natalícia

No natal, os presentes adquirem um valor tão importante que os desejos dos adultos e das crianças se refletem apenas nos bens materiais; porém o Natal é muito mais do que isto, deve transcender os nossos corações.

Pode surpreender os seus filhos com verdadeiras demonstrações de amor. É muito fácil e está ao alcance da sua mão:

  1. Se o seu grande anseio é que o seu filho seja feliz, não lhe dê tudo o que ele peça.
  2. Não se deve subornar as crianças. Os presentes nunca substituirão a atenção dos pais. Será que os filhos preferem um brinquedo ou ir com mãe fazer patinagem, jogar futebol, andar de bicicleta, ir ao cinema ou ler um livro de contos? Nestas ocasiões, disfrutar com os seus filhos será o melhor brinquedo que eles poderão receber dos seus pais. Isso é gratuito!
  3. Acostumar as crianças a passar o Natal com aquilo que têm, é o melhor presente que se pode ter. Devem viver a realidade e aceitar o pouco ou muito que podem receber como prenda.
  4. Nem sempre o que as crianças pedem para o Natal é o que convém mais. Quando se é criança não se tem critério nem limites para pedir, portanto a tarefa de se pensar o que oferecer deve caber aos pais.
  5. Fale com eles sobre o que pediram na carta ao Pai Natal. Em muitas ocasiões ficará surpreendido com os motivos que os levaram a escolher determinados presentes. Aproveite o entusiasmo, para lhes sugerir alternativas mais enriquecedoras.
  6. Natal é sinónimo de família. É um bom momento para ser sincero consigo mesmo e refletir sobre o papel de mãe e de pai. De certeza que existem coisas que se podem melhorar.
  7. A felicidade não está nas coisas, mas sim num estado de alma produto da paz espiritual que se ganha com as boas ações e de bem-estar consigo mesmo e com a família. 

O Natal é uma época de amor e tem tradições que devem transcender as crianças para que prevaleçam mais além do tempo. É a oportunidade de incutir neles a grandeza dos bons sentimentos.

 

Tradução e adaptação de Vanessa Trigo.

Poderá encontrar o texto original aqui.

 

Comentários

Já gostou da nossa página no Facebook?

Apoie o nosso projeto, fazendo Gosto à nossa página no Facebook.

FECHAR